Cruzeiro: conselheiros aprovam balanço com redução de dívidas de curto prazo

Esportes

Cruzeiro: conselheiros aprovam balanço com redução de dívidas de curto prazo

09:37 | 01 de maio

Em reunião por vídeo conferência na noite desta quinta-feira, o Conselho Deliberativo do Cruzeiro aprovou as contas do clube relativo ao ano de 2020. De acordo com o balanço financeiro, auditado pela empresa Moore, a Raposa apresentou um prejuízo de R$ 226,5 milhões. A dívida global é de R$ 897 milhões.


 

Considerando apenas a gestão do presidente Sérgio Santos Rodrigues, que assumiu a direção do clube no dia 1º de junho de 2020, o Cruzeiro apresentou um superávit de R$ 33 milhões. No período, a Raposa conseguiu reduzir o “rombo” do exercício de R$ 259,2 milhões, apurado até maio, para R$ 226,5 milhões.

A Moore fechou o balanço de 2020 sem ressalvas, porém alertou para a “incerteza significativa relacionada à continuidade operacional do clube” por causa dos “sucessivos déficits nos últimos exercícios”. Em 2019, o Cruzeiro já havia registrado um prejuízo de R$ 394 milhões, recorde histórico no clube.

“Essa condição indica a existência da incerteza significativa que pode levantar dúvida quanto à capacidade de sucesso das ações e medidas que estão sendo tomadas pela administração. As demonstrações financeiras foram preparadas com base no pressuposto da continuidade de suas operações”, apontou a empresa que auditou o balanço celeste pelo segundo ano consecutivo.
 

Em 2020, o Cruzeiro arrecadou R$ 118,8 milhões líquidos. O valor é 57,7% menor que o registrado na temporada retrasada: R$ 280,8 milhões. A redução drástica é explicada pelo rebaixamento para a Série B, que causou a diminuição das receitas de TV (era R$ 102,5 milhões e caiu para R$ 40,3 milhões), e a quantia menor obtida com a venda de atletas (de R$ 108 milhões para R$ 23,45 milhões).

Por outro lado, há notícias boas, como a redução da dívida em curto prazo (com pagamento em até 12 meses). O valor caiu de 77% do débito total, registrado em 2019, para 36,5% no ano passado. Dos R$ 897 milhões, R$ 312 milhões são de curto prazo.


(Fonte:Itatiaia/Foto:Rodolfo Rodrigues)







 

Publicidade