Atlético recebe o América de Cali em 'decisão' para o clube, o técnico Cuca e o grupo H

Esportes

Atlético recebe o América de Cali em 'decisão' para o clube, o técnico Cuca e o grupo H

10:26 | 27 de abril

 

Atlético lava a alma, faz sua melhor apresentação no ano e vence o América de Cali. O que você acabou de ler é o resumo do roteiro perfeito para a Massa. Basta os jogadores tirarem essa síntese do papel e a transformarem em uma obra com contornos cinematográficos no cenário do Mineirão nesta terça-feira (27), às 19h15, pela segunda rodada do grupo H da Libertadores. Mas como nada foi encenado com o adversário, os colombianos esperam transformar esse esboço num fiasco alvinegro, o que pode até mesmo acarretar numa mudança de direção no time preto e branco.

Em meio a uma pressão vinda de todos os lados, Cuca se vê inserido em uma tênue linha que tem, de um lado, a chance de numa tacada só dar a volta por cima, encaminhar bem a classificação da equipe às oitavas de final, tornar mais leve o ambiente na Cidade do Galo e cimentar o caminho de reconquista da confiança de parte da torcida. Na outra ponta, um revés tende a tornar a situação insustentável (já agravada por atuações irregulares, uma gama de resultados negativos e uma recente polêmica com Hulk), com possibilidade até de uma demissão, sem nem ao menos ele ter “estreado” pelo torneio.

 

Fora do confronto passado, o empate em 1 a 1 com o La Guaira, na Venezuela, por conta de suspensão, Cuca precisa cumprir mais um jogo de “gancho”, no caso, o desta terça. Só que se um desastre acontecer, e o treinador for demitido, encerra-se um ciclo sem ao menos ter estado à beira do gramado nesta edição e também o sonho de se tornar o técnico que mais comandou o Atlético na história do torneio.

A três partidas de igualar Levir Culpi (17 duelos) em jogos de Libertadores à frente da equipe, Cuca ultrapassaria o campeão da Copa do Brasil de 2014 ao fim da fase de grupos, pois somaria mais quatro embates, indo a 18. Por isso, a necessidade de uma vitória, tanto para as pretensões do Galo na busca pelo bicampeonato da Liberta quanto para o treinador chegar a mais um feito vestindo o manto atleticano.

Tudo isso está no campo da hipótese, e somente o que vier logo mais à noite é que ditará os rumos do clube mineiro, do técnico, do América de Cali e de parte da disputa do grupo H. A única certeza é que Atlético e Cuca precisam fazer do Gigante da Pampulha novamente seu “salão de festas”, com uma atuação digna de um Oscar.

América de Cali

Situação semelhante a de Cuca vive o técnico adversário, Juan Cruz Real. De acordo com a imprensa colombiana, uma derrota do time de Cali pode resultar na demissão do treinador. O América de Cali foi derrotado para o Cerro Porteño, na estreia da fase de grupos, e para o Millonarios, no primeiro duelo dos playoffs, no campeonato local, ambos os jogos realizados em casa.

A FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO
Everson; Guga, Igor Rabello, Alonso e Guilherme Arana; Tchê Tchê, Allan (Zaracho) e Nacho Fernández; Savarino (Zaracho), Keno e Vargas (Sasha). Técnico Cuca

AMÉRICA DE CALI
Graterol; Arrieta, Kevin Andrade, Jerson Malagón e Ortiz (Héctor Quiñones); Carrascal, Luis Paz e Cabrera; Vergara, Cambindo (Rodrigues) e Moreno.Técnico Juan Cruz Real

Data: 27 de abril de 2021 (terça-feira)
Horário: 19h15
Local: Mineirão
Cidade: Belo Horizonte
Motivo: 2ª rodada do grupo H da Copa Libertadores
Arbitragem: Daniel Fedorczuk, auxiliado por Richard Trinidad e Martin Soppi, todos uruguaios
Transmissão: Conmebol TV

 

(Fonte:Hoje em Dia/Foto: Pedro Souza/Agência Galo/Atlético)

 

 

 

 

Publicidade