A noite em que o ego de Raphael Veiga sabotou o Palmeiras. Foi o responsável pela eliminação da Copa do Brasil para o São Paulo

Esportes

A noite em que o ego de Raphael Veiga sabotou o Palmeiras. Foi o responsável pela eliminação da Copa do Brasil para o São Paulo

09:42 | 15 de July

Raphael Veiga foi de sensacional surpresa a grande decepção.

Se deixou dominar pelo ego. E sabotou o Palmeiras, sendo o responsável pela eliminação da Copa do Brasil. A vaga para as quartas-de-final  foi um presente para o grande rival tricolor.O jogador surgiu como falso centroavante, no lugar de Rony, contundido. Abel Ferreira deixou atônito o time do São Paulo. E Rogério Ceni, que havia destacado, treinado Gabriel Neves para acompanhar o meia.
 

O Palmeiras, diante de uma defesa assustada, perdida, fez dois gols em 13 minutos. Piquerez e o próprio Raphael Veiga marcaram 2 a 0. A vantagem para a classificação às quartas de final da Copa do Brasil mudava de lado. Parecia o mesmo roteiro das finais do Campeonato Paulista, em abril.]

Só que o Palmeiras diminuiu o ritmo, o São Paulo acertou a marcação. E o que parecia ser um 'desastre' no primeiro tempo, não se confirmou.

Mas veio o segundo tempo. E o Palmeiras ainda melhor, confiante, animando sua torcida que bateu o recorde histórico, lotando como nunca o Allianz Parque. Com o time ainda muito melhor, veio o lance capital.

Aos 16 minutos, Dudu,que jogou muito bem, chutou forte. Calleri cortou com o braço direito. Pênalti.

Raphael Veiga, que havia perdido sua primeira cobrança em maio, contra o Santos, depois de marcar 24 vezes, pegou a bola. Queria provar para ele mesmo que seguia o grande batedor do Palmeiras.

Só que, afoito, bateu muito embaixo da bola. Ela subiu, foi longe do gol de Jandrei.

O lance, aos 17 minutos, encheu de energia, confiança o São Paulo.

E em seguida, Gustavo Gómez se precipita, em uma arrancada de Calleri, o segura pelo ombro esquerdo. Pênalti que o VAR avisou.

Luciano bateu e marcou. O Palmeiras que esteve para consolidar sua classificação com 3 a 0 no placar, via o placar com apenas 2 a 1, que levaria a disputa da vaga nos pênaltis.

O time e a torcida sentiram o baque. O São Paulo, que conseguiu marcar em um raro ataque, dominou psicologicamente o confronto. E foi melhor que o eterno rival até o final da partida.

Na decisão por pênaltis, Raphael Veiga assumiu a responsabilidade de cobrar o primeiro, para o Palmeiras. E bateu muito mal. À meia altura, no canto esquerdo de Jandrei, que não se esforçou para defender. A pressão ficou ainda maior para o Palmeiras. A torcida estava inconformada. 

Hoje, o ego de Raphael Veiga foi o grande obstáculo. Não estava psicologicamente bem para cobrar pênaltis. Pior para o Palmeiras. Excelente ao classificado São Paulo...




(Fonte:R7)