Sobe para 76 o número de mortes por febre amarela em Minas; outros 28 óbitos são investigados

Outras notícias

Sobe para 76 o número de mortes por febre amarela em Minas; outros 28 óbitos são investigados

00:26 | 16 de fevereiro

 

Mesmo com a intensa campanha de vacinação contra a febre amarela, a doença continua se espalhando  e ampliando o número de mortes pelo Estado. De acordo com boletim divulgado nesta quinta-feira (15) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), foram confirmados, via exame laboratorial, 183 casos da doença desde dezembro do ano passado. Ao todo, 76 pessoas morreram e 28 óbitos ainda estão sob investigação.

Outros 376 pacientes podem ter adquirido a doença, mas ainda não receberam a confirmação do laboratório. Ainda segundo o documento,  90 casos suspeitos (dentre eles, 15 óbitos) foram descartados após exames da Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Belo Horizonte. No balanço anterior (06/02), haviam sido confirmadas 61 mortes e 301  casos estavam sob investigação.

 

Veja o quadro:

SES/MG

tabela febre amarela

Mariana, na região Central do Estado, e Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, são os municípios com maior número de casos confirmados de febre amarela. Na cidade histórica, 22 moradores ficaram doentes e seis deles morreram. Já no município conhecido pelos condomínios, foram 17 casos, sendo que seis deles evoluíram para o óbito.

A maioria dos casos de febre amarela em Minas está concentrada nas regiões Metropolitana, Central e Zona da Mata, mas a situação no Sul de Minas também é preocupante – já houve mortes de moradores de cidades como São Tomé das Letras, Conceição dos Ouros e Poço Fundo.

Segundo o boletim, os homens adultos continuam sendo os que mais sofrem com a doença. Do total de casos confirmados de febre amarela, 167 (91,3%) são do sexo masculino e 16 (8,7%) do sexo feminino. Dentre as mortes, três foram do sexo feminino, representando 3,9% do total de óbitos confirmados.

A SES afirma ainda que, até o momento, não há relato de vacinação para a febre amarela entre os casos confirmados. A vítima mais jovem da doença é de uma criança de 3 anos, moradora de Nova Lima, e a mais velha tinha 88 anos. A letalidade por febre amarela em Minas, neste período de monitoramento (desde julho do ano passado), é de aproximadamente 41,5%.

No período de monitoramento anterior feito entre julho de 2016 e junho de 2017, foram registrados 475 casos confirmados de febre amarela silvestre em Minas, sendo que destes, 162 evoluíram para óbito.

Vacinação

Cerca de 3,2 milhões de pessoas em Minas ainda não são vacinadas contra a febre amarela. A  cobertura vacinal é de 83,38%. Mais de 37% dos municípios mineiros ainda não atingiram a meta de vacinar mais de 80% da população.

A vacina contra a febre amarela está no calendário de vacinação para bebês a partir de 9 meses. Gestantes ou mulheres que amamentam crianças menores de 6 meses só devem se vacinar se residirem em uma área com alto risco de transmissão da doença. As pessoas com mais de 60 anos podem ser vacinadas, mas os profissionais dos serviços de saúde farão uma avaliação prévia. (Hoje em Dia)

 

Publicidade