Em dia de novo recorde de mortes por Covid, Minas decreta fim do toque de recolher na Onda Roxa

Outras notícias

Em dia de novo recorde de mortes por Covid, Minas decreta fim do toque de recolher na Onda Roxa

18:44 | 07 de abril

O Comitê Extraordinário Covid-19, criado pelo governo de Minas Gerais, decidiu acabar com o toque de recolher e a proibição de reuniões familiares e sociais, em domicílios, no território. As medidas constavam na Onda Roxa, que prevê mais rigor no controle da pandemia do novo coronavírus no Estado.

A suspensão atende a um acordo judicial feito pelo Executivo na última segunda-feira (5), após o deputado estadual Bruno Engler questionar a constitucionalidade das determinações. Apesar do fim da proibição, o governador Romeu Zema reitera que o poder público desaconselha qualquer tipo de aglomeração ou trânsito desnecessário neste período de crise sanitária. 



 

“Essas medidas não serão mais obrigatórias, mas é essencial que todos façam a sua parte para conseguirmos reduzir a propagação do vírus. Precisamos que a população mantenha todos os cuidados, use máscara e evite aglomerações para conseguirmos sair disso o mais rápido possível”, destacou o mandatário.

O Estado registrou, nesta quarta-feira(7), um novo recorde de mortes em decorrência da Covid-19: 508 confirmadas em apenas 24 horas. Ao todo, desde o início da pandemia, 26.303 pessoas perderam a vida e 1.182.847 já foram infectadas.

Segundo a SES-MG, a taxa de isolamento em Minas está menor do que a média brasileira. Enquanto no Estado ficou em 46,3% nos últimos sete dias, no Brasil chegou a 49,94%

 

No mesmo período, houve um aumento de 5,2% de casos de Covid-19 e 7,8% nas mortes.

Mudanças

A partir da próxima segunda-feira (12), a macrorregião Triângulo do Sul poderá avançar para a Onda Vermelha, que é menos restritiva do que a Roxa. A Triângulo do Norte já tinha progredido para a mesma fase em 31 de março. As demais regiões do estado devem seguir, por mais uma semana, as medidas decretadas na semana passada. Triângulo do Norte permanece na Onda Vermelha e as outras 12, na Roxa.

Na Vermelha, todas as atividades estão autorizadas a funcionar, desde que cumpram algumas regras, como distanciamento e limitação de número de pessoas em um mesmo ambiente.

Restrições

Para compensar o fim da restrição de circulação de pessoas e da proibição de reuniões familiares, a norma que prevê medidas mais rígidas durante a Onda Roxa não permitirá a retirada em balcão em todo o comércio não essencial, das 20h às 5h. Assim, estabelecimentos como bares e restaurantes só poderão funcionar em formato de delivery neste horário.

Supermercados e padarias, por outro lado, terão o horário de funcionamento ampliado até as 22h, para reduzir a circulação de pessoas no pico. 

“As mudanças não terão impacto na efetividade da Onda Roxa, porque a restrição de circulação de forma isolada não tem impacto direto. O que realmente queremos é evitar aglomerações. Por isso a decisão de fazer com que serviços não essenciais, principalmente bares, não vendam produtos em balcão para evitar concentração de pessoas na porta. Também recomendamos cuidado até mesmo durante uma reunião familiar, em função do risco de contágio”, esclareceu Fábio Baccheretti, secretário de Estado de Saúde.


(Fonte:Hoje em Dia/Foto:Rodolfo Silva)





 

Publicidade