Caso Bárbara: Mesmo após suicídio de suspeito, investigações continuam

Outras notícias

Caso Bárbara: Mesmo após suicídio de suspeito, investigações continuam

10:19 | 04 de agosto

Após o corpo do suspeito de matar a garota Bárbara Vitória ser encontrado no bairro Cachoeirinha, na região Nordeste de Belo Horizonte nessa quarta-feira (3), a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) informou que as investigações do caso seguirão. A informação foi dada pelo delegado Saulo Castro, porta-voz da corporação.

"Na tarde dessa quarta, foi encontrado morto em Belo Horizonte um homem suspeito de envolvimento no homicídio de Bárbara. Policiais estavam no local, onde realizaram levantamentos. Não é possível determinar a causa da morte, há indícios de possível suicídio. As investigações do homicídio seguem paralelamente com análise de imagens de circuito de segurança, depoimentos e exames periciais. Outras informações serão repassadas à sociedade exclusivamente por meio dos nossos pronunciamentos", disse o delegado.

O principal suspeito de ter assassinado a menina Bárbara Vitória Lopes, de 10 anos, quando ela teria saído para ir à padaria, foi encontrado morto na casa de uma tia dele, no bairro Cachoeirinha, na regional Nordeste de Belo Horizonte. O homem, de 50 anos, teria se matado com uma corda em um dos quartos da casa.
Fontes ouvidas pela reportagem disseram que, após ter sido liberado pela Polícia Civil, o homem teria ido para a casa da tia e ficado isolado em um quarto por conselho dos próprios policiais. Os investigadores teriam o alertado para a possibilidade de linchamento caso ele permanecesse em Ribeirão das Neves, em função da comoção causada pelo assassinato da criança. Segundo fontes, o suicídio teria sido em desespero por ele estar sendo acusado pelo assassinato. A tia dele foi quem o encontrou morto.

Cenas de câmeras de segurança mostraram que, pouco antes do sumiço da menina, enquanto ela subia a rua de um lado, na calçada oposta estava esse homem com calça e blusa pretas, com uma sacola nas mãos. Os dois andaram no mesmo sentido, pareados, quando Bárbara decidiu atravessar a rua para se encontrar com ele. A menina andou atrás do homem e ele fez um sinal para que ela se afastasse. O homem trocou de lado da rua e Bárbara o seguiu para a outra calçada.

Em outro trecho da via, a garota apareceu andando atrás do homem pela mesma calçada. Em uma esquina, ele falou algo com ela. Bárbara ficou parada por alguns minutos naquele local, enquanto o homem seguiu caminhando. Pouco tempo depois, ele voltou e os dois continuaram a andar juntos no sentido oposto.

Outras imagens que intrigaram os investigadores foram as obtidas de vários ângulos que mostram o principal suspeito, um homem de 50 anos, empurrando um carrinho de mão. A polícia não descarta a hipótese de que o corpo de Bárbara Vitória pudesse estar no carrinho.

Para ter certeza, o carrinho será periciado. Luminol, produto utilizado para detectar sangue em objetos ou superfícies, será aplicado para detectar se existem vestígios do sangue da menina.

Existe a suspeita que o homem teria matado a menina em outro local e usado o carrinho de mão para levar o corpo da criança até o matagal, local conhecido pelos moradores da região por ser um local usado para abandonar corpos de vítimas de homicídio.

Provas
Ainda conforme fontes ligadas à investigação, a polícia havia reunido diversas provas para solicitar a prisão temporária do homem. O pedido seria expedido nos próximos dias. Porém, o suspeito se matou nesta quarta-feira.


(Fonte:O Tempo/Foto:PCMG)

Publicidade