Caminhões são incendiados e prefeitura tem R$ 300 mil de prejuízos

Notícias da região

Caminhões são incendiados e prefeitura tem R$ 300 mil de prejuízos

01:50 | 29 de março

O fogo destruiu completamente dois caminhões que estavam no pátio, e um terceiro foi parcialmente incendiado. O prefeito da cidade, Geraldo José Luiz Lima, informou que o prejuízo é  estimado em R$ 300 mil.

“Os veículos eram usados com  frequência no serviço público, com a coleta de lixo e também pela secretária de agricultura. O prejuízo foi muito grande. A carreta de carroceira seca transportava os membros da agricultura familiar e agora não terenos mais como prestar esse serviço. Pelo menos temporariamente vamos ter que suspender”, diz.

Suspeito

Um dos funcionários do pátio que estava no local no momento do crime, mas não quis se identificar, disse que por volta de 1h da madrugada, ele teria visto um homem na redondeza e em seguida o incêndio começou.

“Minutos antes do local pegar fogo, um jovem de camisa preta e boné passou perto do pátio e em seguida avistei o fogo e a fumaça alta. Não vi mais nenhuma pessoa passando pelo local, portanto creio que ele seja o autor do crime”, conta.

Após o crime, a Polícia Militar identificou um suspeito. Neste momento o possível autor foi conduzido a delegacia  de Teófilo Otoni e está prestando esclarecimentos.

Segundo incêndio em uma semana

Este é o segundo incêndio que acontece em veículos públicos na cidade de Ouro Verde de Minas, em apenas uma semana. Na sexta-feira (21), um ônibus escolar do município, e uma Kombi também foram alvos de incêndios criminosos.

O delegado Washington Souza Filho, disse que as investigações ainda estão no início, e que não se pode afirmar que os dois casos de incêndios tenham relação. “A polícia não descarta essa possibilidade,mais também não temos ainda provas concretas de que os incêndios tenham ligação. Estamos com um suspeito prestado depoimento e acredito que em breve teremos mais informações”, conta.

O prefeito que está no cargo há um ano e três meses, não descarta a possibilidade de rixas políticas terem motivado os crimes. “Não tenho problemas com ninguém na cidade, mas as coincidências foram muitas”, finaliza.

Publicidade